quinta-feira, 30 de abril de 2009

PM prende casal que tentava aplicar golpe em Cambuí

Cíntia Ferreira

No dia 27, às 11h a Polícia Militar de Cambuí foi informada de que duas mulheres e um homem estavam na cidade com o objetivo de aplicar golpes aos cidadãos e que possuíam um veículo com placa de Rio Claro (SP). Diante das informações a PM conseguiu localizar o veículo na Praça Coronel Justiniano, onde se encontrava um dos suspeitos.

Em outra viatura da PM, uma das golpistas chegou acompanhada pelo policial e a vítima aposentada de 60 anos. Segundo informações da PM, a vítima disse que transitava pela rua Padre Caramuru quando foi parada por duas mulheres, onde uma disse que ela e sua amiga estavam com um bilhete premiado da Mega Sena e que necessitavam de uma ajuda para receber o prêmio.

A vítima contou também que a golpista disse que ela seria recompensada pela ajuda, mas que deveria entregar às mesmas a quantia de R$500 antecipadamente. A vítima relatou que não possuía o dinheiro naquele momento, mas que iria sacar na sua agência bancária, onde nesse momento passava pelo local um policial que suspeitando da ação conseguiu abordar a autora. A outra que a acompanhava conseguiu fugir não sendo localizada.

O casal recebeu voz de prisão e foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil. Alguns objetos dos golpistas foram apreendidos, inclusive o veículo que estava com o licenciamento atrasado. Após pesquisa nos sistemas informatizados, foi constatado que a mulher responde a quatro processos no Estado de São Paulo por estelionato.

Dois focos do mosquito da dengue são encontrados em Cambuí

Cíntia Ferreira

O departamento de Vigilância Sanitária e Epidemiológica de Cambuí localizou dois focos do mosquito aedes aegipty este ano no município. Um deles foi encontrado em uma armadilha feita pelos agentes. O outro foi descoberto nas proximidades do Auto Posto Cambuí, situado ao Km 842 da Rodovia Fernão Dias.

Segundo a Vigilância Epidemiológica, as ruas com maior risco de infestação são rua São Judas Tadeu, avenida Benedito Delfino Machado, rua Antônio Paulino, rua São Sebastião, avenida Prefeito José Barbosa, rua Vereador Benedito Artur de Melo, rua São Francisco de Assis e rua Padre Teixeira.

Em Cambuí foram instaladas 55 armadilhas com a finalidade de monitorar que tipos de mosquitos estão se procriando na cidade. A armadilha em que foi encontrado um dos focos está situada no final da avenida Prefeito José Barbosa. Não se pode esquecer que um mosquito pode alcançar uma distância de cerca de 100 metros do local onde o mesmo foi gerado.

Os agentes alertam para que os moradores tenham mais cuidado com relação a deixar água acumulada, principalmente em vasos de planta, entulhos, pneus e latas. É importante também vedar corretamente a caixa d’água para que não apresente nenhuma fresta. A dengue é uma doença que pode levar até a morte, por isso é importante que todos entrem nesta luta.

Agentes mirins realizam trabalho de conscientização

Cíntia Ferreira

Os 15 agentes mirins de Cambuí realizaram neste mês um trabalho para conscientizar os alunos de todas as escolas municipais, estaduais e particulares sobre a importância do cuidado quanto à dengue. Os agentes mirins construíram maquetes na sede da Vigilância Sanitária e Epidemiológica que representam algumas situações que favorecem água parada e com isso o risco do desenvolvimento do mosquito aedes aegipty, transmissor da dengue. Com estas maquetes eles visitaram as escolas e explicaram alguns fatores importantes para seus colegas.

Todas as escolas estão sendo privilegiadas com este trabalho que é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde, através da Vigilância Sanitária e Epidemiológica representada pela agente Geiza de Oliveira Macedo Aguiar, responsável pelos trabalhos educativos. As escolas que ainda irão receber estes agentes são as escolas Municipais Joaquim da Silva de Oliveira, Ana Silvério de Almeida, Professor Benedito de Carvalho Lopes e Escola Ana Bueno.

Os agentes mirins foram selecionados no ano passado e desde então, tem realizado trabalhos educativos no que diz respeito ao combate à dengue. Segundo o agente da vigilância Tadeu Samuel Pereira, este trabalho com as maquetes tem sido bastante produtivo e satisfatório, porque todas as escolas estão contribuindo.

Ima e Vigilância Sanitária apreendem 280 kg de carne suína

Cíntia Ferreira

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e a Vigilância Sanitária de Cambuí apreenderam no dia 23 de abril 280 kg de carne suína que se encontrava em um caminhão que fazia entregas na cidade. O caminhão estava na Vila São Benedito, a placa era de Extrema (MG) e não possuía nenhuma identificação de frigorífico.

Segundo a veterinária da Vigilância Sanitária de Cambuí Ana Paola Gonçalves dos Santos Valias, o carro da vigilância passava pelo local quando identificou o caminhão. Ela contou que a carne era do matadouro de Extrema e que os proprietários tinham autorização apenas para vender em Extrema. O motorista do veículo foi abordado e não tinha nenhuma documentação que comprovasse sua procedência.

No momento em que abordaram o caminhão, os vigilantes entraram em contato com o funcionário do IMA que foi até o local e juntamente com a Vigilância executou a apreensão. Segundo Ana Paola, a carne estava fora da temperatura adequada para consumo que é de 7graus. Eles mediram a temperatura e dentro do caminhão era de 20graus e no músculo do animal media 29graus, o que tornava a carne totalmente imprópria para consumo.

O dono alegou que a carne havia sido inspecionada. Mas Ana Paola afirmou que só a temperatura do alimento já o tornava inadequado. Os proprietários não possuíam registro do IMA e nem do Serviço de Inspeção Federal (SIF), sendo assim os vigilantes apreenderam toda carne e esta foi levada para o aterro municipal e enterrada.

Ana Paola alerta para que os açougueiros passem a comprar carne de local inspecionado e com registro, pois esta carne é totalmente imprópria para consumo e pode causar ao consumidor malefícios como a contaminação por bactérias e até mesmo a contração de algumas doenças.

COMTUR E FUMPAC são criados em Estiva

Cíntia Ferreira

A Câmara Municipal de Estiva aprovou no dia 22 de abril a criação do Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) e do Fundo Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural (FUMPAC). Ambos foram aprovados por unanimidade dos vereadores. O COMTUR tem a função de assessorar o município em questões referentes ao desenvolvimento turístico. Já o FUMPAC tem por finalidade prestar apoio financeiro às áreas culturais da cidade, bem como cuidar da preservação dos bens tombados.

O COMTUR é formado por 10 membros que terão mandato de dois anos. Os conselheiros serão membros da sociedade que vão ser indicados pelo prefeito municipal João Gualberto Rezende Júnior (PSDB). Ao conselho compete diagnosticar e manter atualizada as informações turísticas do município, programar e executar ações sobre temas turísticos, formular diretrizes básicas observadas na política municipal de turismo, manter intercâmbio com entidades oficiais ou privadas, desenvolver programas e projetos visando incrementar o fluxo turístico e eventos da cidade, além de propor formas de captação de recursos.

De acordo com o diretor de Turismo e Cultura, Danilo Rosa, foi dado o primeiro passo para se ter um projeto turístico no município. “Sem o COMTUR a cidade não consegue fazer nada”, diz.

Para o FUMPAC será criada uma conta específica para o repasse das verbas. Antes da criação do fundo, o valor era repassado no bolo orçamentário do município e este era usado para outra finalidade que podia ser ou não cultural. O valor repassado do FUMPAC é destinado para manutenção e preservação dos bens tombados e também para apoiar projetos e ações culturais. Uma das prioridades para o município, segundo Danilo, é a restauração da igreja de Santa Terezinha, que é um dos bens tombados do município, dar apoio a alguns projetos municipais que já existem e promover atividades culturais como teatros e oficinas.

O diretor de Turismo disse que em 2008 Estiva recebeu R$ 77.611,81 referente ao ICMS Cultural, mas como não existia o FUMPAC a verba foi depositada no bolo orçamentário e utilizada para outra finalidade. O Conselho Municipal de defesa do Patrimônio Cultural vai monitorar o uso do fundo. Este conselho foi nomeado pelo prefeito no dia 30 de janeiro e é formado por 14 membros sendo sete efetivos e sete suplentes.

Igreja de Santa Terezinha terá prioridade na restauração com o recebimento do FUMPAC

Estiva sedia a 3ª Etapa da 9ª Copa Neno Racing de Motocross

Cíntia Ferreira
Estiva sediará a partir de amanhã a 3ª etapa da 9ª Copa Neno Racing de Motocross que acontecerá no Distrito Industrial no Km 870 da Rodovia Fernão Dias. Serão três dias de programação. As inscrições são feitas através do site www.motox.com.br ou em Estiva nos dias do evento. Aproximadamente 120 corredores participam da copa que elege este ano 12 categorias com 10 colocações cada uma.

No dia 1º de maio, a pista será liberada para treinos dos corredores. No dia 2, haverá um treino das 14h30 ás 17h30. À noite acontecerá um baile às 23h no Clube Literário e recreativo de Estiva com a presença da banda Prisma. No dia 3, também haverá treino das 9h30 às 11h e por fim a largada principal acontecerá às 12h.

Segundo o diretor de Turismo e Cultura Danilo Rosa, a expectativa é que o evento atraia um público de três a quatro mil pessoas. Turistas de toda região do extremo Sul de Minas participam deste evento que a diretoria de Turismo considera muito importante para Estiva.

14ª Romaria de Ciclistas será realizada em maio

Cíntia Ferreira

Há pouco mais de uma década, um grupo de amigos formado por Anjo Moisés da Silva, Sebastião Costa, Creso Pinheiro e Antônio Lazaro da Silva resolveram criar a Romaria de Ciclistas do município de Córrego do Bom Jesus. Apoiados por Monsenhor Afonso Ligório Rosa, o grupo que saía no dia 2 de maio recebia uma missa antes da partida. Hoje os responsáveis são outros, mas a fé com que o fazem sair do Santuário do Bom Jesus e ir até o Santuário de Aparecida do Norte, é a mesma.

A saída está prevista para as 4h do dia 2 de maio após a benção no Santuário do Bom Jesus e o retorno para o dia 3 de maio às 10h. A comissão organizadora é formada por José Celso da Silva (Shell) e Mário Lúcio da Silva. A Prefeitura Municipal de Córrego do Bom Jesus dá todo apoio aos ciclistas.

As vagas são limitadas em 40, até o fechamento desta edição já haviam sido feitas 27 inscrições. Para fazer o cadastro é necessário pagar uma taxa de R$50 que será utilizada no pagamento das camisetas, do transporte e dos alimentos. Cada ciclista receberá duas camisetas da 14ª romaria. As inscrições são feitas na casa do Shell que fica à rua Antônio Silva de Oliveira, 70, ou no bar Big Brother.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Ruas do ‘Vale do Sol’ apresentam problemas em Cambuí

Cíntia Ferreira
A realidade dos moradores do loteamento Vale do Sol são ruas esburacadas, sem calçamento, matos altos nas vias públicas que a deixam impossível de transitar e ruas sem água, esgoto e iluminação. O loteamento possui apenas uma entrada onde também é a saída. Não existem calçadas, os residentes precisam andar no meio das ruas. A reportagem da Gazeta do Vale visitou o loteamento no último dia 21 e verificou a veracidade de alguns problemas apresentados pelos moradores.

Morador da rua Caribi há sete anos, o aposentado Levino Mariano da Silva conta que o loteamento sofreu melhoras na gestão atual, mas que ainda falta muita coisa para ser feita. Segundo ele, falta água, esgoto, iluminação em algumas casas e o cascalhamento das ruas. “Pedir asfalto ou calçamento é impossível. Mas passar a máquina e o cascalho já seria uma boa coisa”, afirma. Levino conta também que anda arrumando a frente de sua casa, mas quando chove “a enxurrada leva tudo”.

Na rua das Araras, a dona-de-casa Rosane Avelina Pereira, relata que o principal problema é o mato e os buracos. “Tem cobra direto aqui por causa dos matos. Esses dias eu matei uma cobra no terreiro de casa. Ratos então, nem se fala. Eu vou fazer compra no supermercado eles não querem trazer aqui”, diz.

Outro lado – A secretária municipal de Obras e Serviços Públicos Jucelene Nascimento Dias disse à reportagem que tem conhecimento sobre as ruas do bairro que não tem infra-estrutura. A questão da água é esgoto é uma parceria entre os moradores e o Sistema Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). Da Prefeitura é de responsabilidade apenas a manutenção das vias e a iluminação.

Jucelene relata que a construção das calçadas e dos meios-fios é de responsabilidade dos proprietários ou do loteador. A secretária informou também que o loteamento não foi oficialmente recebido pela prefeitura. Jucelene conta que o projeto foi aprovado apenas com uma entrada e que só seria possível a criação de uma nova saída/entrada caso algum terreno fosse desapropriado ou fosse construído um novo loteamento que oferecesse acesso ao Vale do Sol.

“O calçamento depende da parceria entre os proprietários e a Prefeitura, ou de uma verba estadual ou federal. Por enquanto nosso orçamento está pequeno. Nós estamos priorizando os lugares mais críticos e com maior fluxo de veículos”, diz Jucelene. A secretária explicou que a máquina ainda não foi passada lá devido às chuvas. E que a Prefeitura já está realizando os serviços de acordo com a necessidade. Será aplicado nos matos do loteamento um herbicida e dentro de no máximo 40 dias será passada a máquina e jogado o cascalho.

Rua São João Batista em Cambuí recebe calçamento

Cíntia Ferreira
Na edição 40 da Gazeta do Vale foi publicada uma matéria mostrando os principais problemas da vila Santo Antônio em Cambuí. O principal deles, segundo o presidente da Associação dos Amigos da Vila Santo Antônio Geraldo Pereira da Fonseca, era a falta de calçamento na rua São João Batista e um buraco de aproximadamente um metro que existia ao lado de uma casa nesta mesma rua e que oferecia riscos aos moradores.

A reportagem da Gazeta do Vale procurou a secretária de Obras e Serviços Públicos Jucelene Nascimento Dias que explicou que o buraco seria fechado e que a rua seria calçada. No último dia 17, a obra já estava concluída. O calçamento da rua, que segundo Geraldo estava sendo solicitado há quatro anos, foi realizado.

Quando foi procurada, Jucelene esclareceu que o calçamento das ruas da cidade não depende apenas da prefeitura. Os moradores têm que informar a Secretaria de Obras e Serviços Públicos sobre o interesse de calçamento em uma determinada rua para que seja feita uma relação de pessoas e seja encaminhada para as empresas responsáveis por este serviço.

Os moradores deram todos os bloquetes e pagaram pela mão de obra de assentamento. A prefeitura foi responsável por passar a máquina no local, dar o cascalho e a areia para o rejuntamento.

O presidente da Associação agradeceu a Prefeitura pela execução da obra em nome dos moradores da rua.

“A meteorologia do planeta terra está mudando” afirma Rubens

Cíntia Ferreira
Na última terça-feira, 21, foi realizada no teatro do Paço Municipal às 21h uma palestra sobre meteorologia para vôos, ministrada pelo professor Rubens Villela, através do Clube de Astronomia e Cultura de Cambuí. Rubens é meteorologista formado em 1957 pela Universidade Estadual da Flórida, pós-graduado pela Universidade de São Paulo (USP). Possui estágios na National Aeronautics and Space Administration (NASA) e The Weather Channel (TV Americana dedicada à meteorologia e previsão do tempo). Cerca de 50 pessoas estiveram presentes, entre elas representantes do vôo livre de Cambuí.

O professor foi o primeiro brasileiro a pisar no Pólo Sul geográfico em março de 1961. Durante a palestra contou suas experiências no Pólo. “É a sensação de realmente pisar em outro planeta”. Ele também contou ao ser indagado pelo presidente do Clube de Astronomia Eurico Wagner da Silva que a bússola gira muito lentamente no Pólo. “Torna-se imprestável. Não serve de referência”, diz Rubens.

“A meteorologia do planeta está mudando. A atmosfera mudou. Minhas experiências do passado não se aplicam mais no presente”, conta o meteorologista. Ele explicou ainda que os tornados têm sido mais freqüentes com a mudança climática, que “geralmente estão causando surpresas”.

Rubens relatou que existem várias formas de vôo livre. “A mais simples é a de colina, aproveitando as correntes naturais de ar”, explica. O professor contou que todos os dias às 10h faz uma leitura do barômetro para saber como está a pressão. Durante a palestra, o professor falou també, sobre o Cumulus Nimbus (CB) que são nuvens com grande desenvolvimento vertical e a grande causadora de fortes rajadas de vento e chuvas intensas. Rubens disse que os satélites ajudam muito na previsão da formação do CB.

PSF unidade Cólen realiza trabalho com deficientes visuais

Cíntia Ferreira*
O Programa Saúde da Família da vila Santo Antônio realizou no dia 16 de abril, em sua unidade no bairro Colen, um trabalho especial com portadores de deficiência visual. A Secretaria Municipal de Saúde foi a coordenadora da programação e a organizadora deste evento e responsável pela unidade no bairro Colen é Credesil Marques de Souza.

No dia 16, houve um encontro de portadores de deficiências visuais com a presença do Alcebíades Pereira Guimarães que realizou uma apresentação musical com sua harpa. O músico tocou várias melodias e contou um pouco da história do instrumento e da sua experiência de cura utilizando a harpa.

As pessoas que estavam presentes ficaram emocionadas com as canções tocadas por Alcebíades. Ao final, foi servido um lanche doado pelos moradores do bairro. Além deste trabalho também são realizadas atividades como ginástica, dança e o artesanato com essas pessoas.

*com informações do site da prefeitura

Campeonato de Veteranos é retomado em Estiva

Cíntia Ferreira

A Diretoria Municipal de Esportes de Estiva realiza após sete anos o Campeonato Municipal de Futsal de Veteranos. Os jogadores têm acima de 40 anos. A primeira rodada foi disputada no dia 21 de abril. Sete equipes fazem parte do torneio que começou em fevereiro com pequenos encontros no Estádio Municipal.

Segundo o diretor de Esportes Marcos Barbosa, existe intenção de fazer também no segundo semestre um Campeonato de Veteranos regional ou municipal de futebol de campo. “Realizando este campeonato, eu me sinto como se estivesse pagando uma divida com estes atletas que tanto já contribuíram para o esporte do município e que estavam, literalmente, deixados de lado”, afirma.

No dia 21 de abril aconteceu a primeira rodada entre a equipe M.C. NÊ e a Equipe Estrela Jovem. A equipe M.C. NÊ venceu por 7 a 3. Disputaram também as equipes Limão e Dom Pedro. Limão venceu por 11 a 7.

Copasa não conclui obras em Córrego

Cíntia FerreiraNo ano passado, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) iniciou uma obra de estação de tratamento de água em Córrego do Bom Jesus. A nova administração pegou a construção em andamento. A estação não foi concluída. Segundo o secretário de obras Antônio Carlos Pereira, existe um problema de infiltração de água que precisa ser solucionado. "A Copasa tem que dar continuidade à obra, afirma.

A companhia já foi notificada no início do ano. Segundo Antônio, eles têm conhecimento sobre o fato. “Eles deram um prazo de 15 dias e não retornaram”, conta. Em Córrego já existe uma estação de tratamento de água. Esta construção seria para aumentar a capacidade do tratamento de água do município e com isso aumentar o fluxo de água. “É uma obra que foi feita e que não podemos usufruir”, explica Antônio.
Antônio explica que a Copasa não é a principal responsável pela não conclusão da estação. “Foi uma empreiteira que fez a obra. Eu poderia até arrumar, mas se nós mexemos perde a garantia”, conta.

O engenheiro responsável pela Copasa Paulo Assunção foi procurado por telefone pela redação da Gazeta do Vale e disse que tem conhecimento sobre a infiltração de água na estação e explicou que a obra ainda não foi encerrada. Ele afirmou que a construção apresentou alguns problemas localizados, mas que serão solucionados. Ao ser indagado sobre o prazo de encerramento da obra, o engenheiro disse que precisava consultar seu material e pediu que entrássemos em contato mais tarde. A redação tentou falar com Paulo no horário combinado, mas não conseguiu localizá-lo.

Senador Amaral completa 17 anos de emancipação política

Cíntia Ferreira
Senador Amaral comemora no próximo dia 28 de abril, 17 anos de emancipação político-administrativa. Para celebrar esta data, será realizada nos dias 25 e 26 de abril uma programação especial. Em 1948, Senador Amaral foi elevado distrito do município de Cambuí. Considerada a cidade com a sede mais alta de Minas Gerais e a segunda mais alta do Brasil, possui 1.505 metros de altitude. A população do município é estimada em 6.280 habitantes sendo a maioria agricultores e pecuaristas.

No dia 25 de abril a programação começará ás 18h com apresentação dos Tambores Japoneses. Às 20h terá o Festival Sertanejo e às 23h a presença da banda ‘Os Primores’. Já no dia 26, o evento começará às 14h com o hasteamento da bandeira, às 14h30 terá a participação do Grupo Reviver, a final do campeonato de Futsal e premiação. Às 19h30 acontecerá uma missa em ação de graças, às 20h30 inaugurações e as 22h30 o encerramento com a Master Banda Show de Cambuí.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Redução do FPM preocupa prefeituras

Cíntia Ferreira
* com informações do site www.tesouro.fazenda.gov.br e www.amm-mg.org.br

A diminuição dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) tem preocupado os prefeitos de todo o país. Em Minas Gerais são 853 municípios que vem sofrendo os reflexos da crise mundial. A diminuição da parcela do fundo é motivada pelas renúncias fiscais autorizadas pelo governo com a redução das taxas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e a correção da tabela do Imposto de Renda (IR).

Na distribuição do FPM, os municípios são classificados em duas categorias: capitais estaduais e municípios do interior. Do valor total do fundo, 10% são destinados às capitais; 86,4% aos demais municípios; e 3,6% aos municípios do interior com mais 156.216 habitantes. É estabelecido um coeficiente mínimo de 0,6 para todos os municípios com menos de 10.188 habitantes. Para as cidades cuja população situa-se entre 10.188 e 156.216 habitantes, são definidas 16 faixas populacionais e um respectivo coeficiente individual. Para todos os municípios do interior com mais de 156.216 habitantes foi determinado o coeficiente 4,0. Os níveis aumentam à medida que cresce a faixa populacional, porém, em uma proporção menor.

Os municípios mineiros sofreram cerca de 7,8% de perda no valor da arrecadação do fundo. Segundo o prefeito do município de Cambuí Benedito Antônio Guimenti (PSDB), essa redução gera para o município um transtorno muito grande. “Nós temos que fazer cortes do investimento previsto no orçamento e reduzir despesas. Estamos trabalhando perto do índice permitido para a folha de pagamento dos funcionários e como cai a arrecadação este índice aumenta, se estourar o limite temos que partir para demissões, isso é muito ruim para o município, além de não poder suprir as falhas nos departamentos com a contratação de pessoas novas ainda temos que demitir”, conta.

Na última segunda-feira, 13, o ministro do Planejamento Paulo Bernardo afirmou que o Governo vai editar uma medida provisória para amenizar os problemas que surgiram por causa da crise mundial. O Tesouro Nacional vai disponibilizar R$ 1 bilhão de recursos extras para os municípios para compensar as perdas das prefeituras com a queda na arrecadação. Primeiro serão liberados R$ 500 milhões e o restante só será repassado se o município não recuperar a arrecadação. O Governo Federal quer que o repasse total fique no mesmo valor do ano passado: R$ 51,3 bilhões, o maior valor desde 1967.

AMM propõe paralisação à prefeituras no dia 15

A Associação Mineira dos Municípios (AMM) enviou uma carta aos 853 municípios mineiros propondo uma paralisação no dia 15 de abril em sinal de protesto à crise que assola as prefeituras mineiras agravando-se em função da redução dos repasses federais e da crise financeira mundial.

Os municípios do Vale do Sapucaí Córrego do Bom Jesus, Santa Rita do Sapucaí e Senador Amaral aderiram à paralisação e fecharam as portas, mantendo em funcionamento apenas os serviços essenciais. As demais prefeituras continuaram com seu trabalho normalmente.

Segundo a AMM, além de fecharem as portas os prefeitos vão encaminhar uma pauta de reivindicações ao governo. Uma das principais propostas é que, durante seis meses, a União suspenda os descontos feitos mensalmente nos repasses do FPM, referentes a dívidas antigas com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Vacinação contra gripe do idoso começa dia 22 em Cambuí

Cíntia Ferreira
Na próxima quarta-feira 22 de abril começa a campanha de vacinação contra a gripe do idoso em Cambuí. A vacinação acontece em todas as cidades do país e vai até o dia 8 de maio. Essa campanha acontece no Brasil desde 1999 e é realizada no período que antecede o inverno. Devem se vacinar as pessoas com 60 anos ou mais, pois são as mais suscetíveis aos efeitos da gripe.

As vacinas estão disponíveis em todos os postos de saúde da cidade, tanto na zona urbana como na rural das 8 às 17h. Nos demais bairros da zona rural serão montados postos móveis com data e hora marcada para a realização da vacinação. Não devem se imunizar as pessoas que tem alergia severa a ovo e síndrome neurológica de Guilan Barret. As pessoas que tiverem com infecção ou febre deverão aguardar a melhora do quadro para se imunizar.

A frase que marca a campanha de 2009 é “Deixe a gripe na saudade e marque um encontro com os amigos”. Segundo a enfermeira responsável pela imunização no município Maria Aparecida Pinto Soares, a vacinação é importante porque vai proteger o idoso durante o inverno. Além de prevenir com relação a outras enfermidades e até a morte.

Maria Aparecida afirma que a vacina pode causar reações locais como vermelhidão, endurecimento da parte onde foi aplicada, dor e em alguns casos uma reação sistêmica como a febre. Mas ela ressalta que todas as reações são normais.

Em Cambuí existem 3.406 idosos que devem se vacinar contra a gripe. Maria Aparecida afirma que é esperado que sejam vacinados 100% dos idosos. “A Secretaria Municipal de Saúde aguarda a presença de todos os idosos nas unidades de saúde para se vacinarem e com isso se prevenirem contra a doença”, conta.

Cambuí realiza ‘Campanha da coleta de óleo de cozinha’

Cíntia Ferreira *com informações da SEDES

A Prefeitura Municipal de Cambuí através da Secretária de Desenvolvimento Econômico e Social (SEDES) e do Departamento de Meio Ambiente irá realizar no dia 30 de abril uma campanha de coleta de óleo de cozinha com o tema ‘Na pia nem pensar, óleo de cozinha é para reciclar’, em parceria com a RECYCLA ÓLEO.

O objetivo da campanha é além de recolher o produto conscientizar a população de que o óleo doméstico jogado no ralo da pia contamina a água além de formar crostas de gordura na tubulação e atrair ratos e baratas que acabam invadindo as casas sem que os moradores saibam o motivo.

No dia 30 de abril será realizada a campanha das 8 às 17h. Os cidadõs poderão levar qualquer quantidade de óleo doméstico para ser doado. E a cada 2 litros recebidos serão trocados por meio litro de detergente. Os postos de coleta serão na Praça Coronel Justiniano (Matriz), Praça da Cultura, Praça das Bandeiras, Praça da Bíblia (em frente ao Hotel Garfo de Ouro), Praça José Xavier de Souza (em frente à Escola Professora Maria Conceição de Morais, no bairro Santo Antônio) e o Centro de Educação Infantil Municipal Maria Orminda Eiras no bairro Santa Edwiges.

Após esta data as pessoas ainda poderão fazer a entrega de óleo de cozinha no ponto de coleta na SEDES, que se situa à Rua Padre Caramuru, 22. Para mais informações o telefone da SEDES é o 3431-6080.

2º Campeonato de Firmas é realizado em Cambuí

Cíntia Ferreira
O 2º Campeonato de Firmas foi realizado, durante os meses de março e abril, em Cambuí. Doze times do município e da região participaram do torneio. Os jogos aconteceram aos sábados no campo Placar de Cambuí. A final do campeonato aconteceu no dia 4 de abril entre KEM (Cambuí) e ACR Componentes (Extrema). A equipe campeã dos jogos foi a ACR Componentes, vencendo por 4x2 nos pênaltis sobre o time do KEM.

O jogo final teve vários lances com oportunidades de gols criadas pelos dois times. No tempo normal o placar final foi de um gol para cada equipe, o que levou a decisão para os pênaltis. Mesmo com o vice-campeonato a equipe de Cambuí mostrou sua importância e teve um artilheiro com 11 gols e o melhor goleiro da competição.

No dia 4 de abril, aconteceu também no campo Placar de Cambuí uma preliminar realizada pela equipe feminina da Associação Desportiva São Caetano (Unidade Cambuí) contra a equipe feminina composta por jogadoras do projeto ‘Futsal é legal’ também do município. A equipe do São Caetano venceu o jogo pelo placar de 5x0.

Cambuí participa de etapa inicial do JIMI e Campeonato de Futebol 2009

Cíntia Ferreira

Na última quinta-feira, 16, teve início a 1ª etapa dos Jogos do Interior de Minas Gerais (JIMI) de 2009. As disputadas acontecem em Camanducaia pelo segundo ano conseguinte. Cambuí está participando do torneio com as equipes de Futsal masculino e feminino e também com as equipes de Voleibol masculino e feminino.

Os JIMI existe há 24 anos e é um programa do Governo Estadual. É considerado a maior e mais tradicional competição do esporte especializado realizada em Minas Gerais.
No dia 19 de abril tem inicio também o Campeonato de Futebol 2009 realizado pela Liga Esportiva Cambuiense. No total são 11 equipes que participam do torneio. Os times foram divididos em quatro chaves. Chave A: Estrela Verde, Bola +1 e Botafogo; Chave B: Penharol, Santa Cruz e Unidos da Vila; Chave C: Nós travamos, Palmeiras e Vila Nova; Chave D: Juventude e Vila Real.

Os jogos serão realizados no Estádio Monte Castelo. O primeiro jogo será entre Unidos da Vila e Penharol às 14h do dia 19. O segundo jogo acontece às 16h entre Palmeiras e Vila Nova.

Prefeitura de Bom Repouso oferece Patrulha Mecanizada

Cíntia Ferreira
O município de Bom Repouso tem realizado através da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e o Departamento Municipal de Agricultura um cadastramento de mini e pequenos produtores rurais para poder incentivar e amparar os produtores através da Patrulha Mecanizada no preparo de suas terras para o plantio.

A Patrulha Mecanizada é um conjunto de máquinas que auxilia serviços rurais, como recuperação de solos, dragagem, obras de drenagem e irrigação, preparação de áreas para plantio, colheita, construção e recuperação de estradas.

Podem participar do programa mini e pequenos produtores rurais de Bom Repouso que não possuam tratores, que tenham área total inferior a 50 hectares e que apresentem no mínimo 80% da renda familiar proveniente da agropecuária. Os produtores pagarão um valor pelo serviço que serão utilizados pela prefeitura para a manutenção dos tratores, dos implementos e dos tratoristas.

As inscrições para participar do programa estão sendo feitas no Departamento Municipal de Agricultura. Os serviços da patrulha serão executados de segunda à sexta-feira. Cada produtor terá direito à 15h de trator por safra, podendo ser estendido por até 20h caso haja necessidade.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

1ª Marcha contra o câncer é realizada em Cambuí

Cíntia Ferreira

Na última quarta-feira, 8, foi realizada a campanha ‘1ª Marcha Cambuí contra o Câncer’ aproveitando a comemoração do ‘Dia Mundial de Luta contra o Câncer’. Através da Secretaria Municipal de Saúde, foi realizada uma passeata partindo de quatro postos do Programa Saúde da Família (PSF) em direção a Praça Coronel Justiniano. A marcha teve início ás 8 h e por volta das 9 h todas as pessoas estiveram reunidas na praça. Durante a marcha foram distribuídos panfletos informativos com orientações de como se prevenir contra a doença.

Cada PSF reuniu um grupo de pessoas para a marcha cujo objetivo da passeata foi conscientizar a população com relação à prevenção da doença. Segundo Vanessa de Carvalho Silva, enfermeira responsável pelo PSF Santo Antônio, o câncer, se detectado precocemente, tem cura. “O que acontece é que as pessoas têm medo dos exames preventivos. Quando resolvem procurar o médico já está muito avançado, aí não tem mais o que fazer”, conta.

Cada equipe criou um grito de guerra que foi cantado durante a passeata. Todos procuravam conscientizar a população sobre a importância da prevenção contra o câncer. A celebração foi encerrada no Plenário da Câmara Municipal de Cambuí onde a psicóloga Suelly Salles ressaltou algumas fatores que as pessoas precisam saber sobre a doença.

Segundo Suelly a palavra chave disso tudo é a prevenção. Ela acrescentou ainda que o corpo só adoece quando a pessoa não consegue expressar suas emoções. “Devemos viver de forma mais simples e expressar os nossos sentimentos. Precisamos rever a maneira em que vivemos”, conta.

Durante a palestra a psicóloga contou algumas experiências da doença em sua família, e disse que é preciso cuidar, pois “o câncer não tem idade, onde há vida pode haver a doença”. A programação foi encerrada com a participação do ator João Carlos de Brito que declamou uma poesia de sua autoria sobre agradecimento a vida.

A enfermeira Vanessa ressalta que todas as mulheres acima de 40 anos devem fazer a mamografia e o exame papanicolau anualmente e o auto-exame da mama mensalmente. E os homens, “nós pedimos para que eles percam esse medo, esse preconceito quanto ao exame de toque retal”. Ele deve ser feito anualmente a partir dos 50 anos de idade.

“Indígenas foram os primeiros astrônomos brasileiros”, afirma Germano

Por Cíntia Ferreira*
*Colaborou Jonas Costa



Foi realizada no último domingo, 5, uma palestra sobre Arqueoastronomia Indígena ás 19 h no Teatro do Paço Municipal em Cambuí. Ministrada pelo professor da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS) e pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Germano Bruno Afonso. De acordo com Germano, o observatório solar indígena (gnômon) é o mais antigo instrumento de astronomia da história da humanidade.

A palestra foi realizada através do Clube de Astronomia e Cultura de Cambuí. Sessenta e seis pessoas estiveram presentes. Após a apresentação, um Planetário foi montado no Clube Literário e Recreativo de Cambuí, onde os presentes puderam observar um céu virtual onde foram indicadas algumas constelações indígenas.

Oficialmente, há 88 constelações. Mas, nos cálculos dos índios, elas são mais de 100. A maioria representa animais, como a ema, o veado campeiro e o colibri. Germano explica que as constelações indígenas são formadas por estrelas e manchas da Via-Láctea. O professor diz que o exercício de ligar estrelas e manchas é semelhante ao de interpretar os formatos das nuvens.

O professor Germano conta que cada constelação encontra explicação na mitologia. A constelação da ema, por exemplo, fica ‘pendurada’ no Cruzeiro do Sul. Os índios acreditam que, se ema não tivesse esse ponto de apoio, desceria à Terra, beberia toda a água e geraria seca e fome.

Segundo Germano o frade capuchinho francês Claude d’Abbeville conheceu os tupinambás do Maranhão e relatou em textos que esses índios percebiam a influência da Lua nas marés. O cientista inglês Isaac Newton só registraria a mesma tese 73 anos depois. Já o astrônomo italiano Galileu Galilei dizia que não há ligação entre Lua e marés.

Para os tembés da Amazônia, a pororoca é conseqüência de um relacionamento entre uma índia e um boto. O animal teria engravidado a mulher, dando origem a três botos. Nas noites de Lua cheia ou nova, os três filhos percorriam as águas para visitar a mãe, o que provocaria as ondas conhecidas como pororoca.

O jornalista Ulisses Capozzoli, mestre em Ciências pela USP e editor de Scientific American Brasil esteve presente durante a palestra e comentou que “as pessoas não estão habituadas aos valores do Brasil”. Ele salientou que ao menos 111 línguas são faladas no país e muitas delas correm risco de extinção. Ulisses apontou a falta de pesquisadores como maior obstáculo ao resgate da cultura indígena.

Germano lamentou que “uma coisa da nossa cultura seja novidade”. Disse que tem desenvolvido vários tipos de atividades para divulgar os conhecimentos astronômicos dos povos nativos do Brasil: “Temos usado a educação formal e a não-formal. Dou aulas em escolas indígenas, faço palestras, escrevo artigos”. O professor revelou que os pesquisadores estrangeiros têm mais facilidade em ter acesso às terras ocupadas por índios.

Este ano será realizada pelo Clube de Astronomia e Cultura uma série de palestras por ocasião do Ano Internacional da Astronomia. Já está agendada para os dias 1º e 2 de maio duas palestras com Bernardo Riedel que vai falar sobre a história da astronomia e explicar como se constrói um observatório. Uma das palestras tem possibilidade de acontecer em Córrego do Bom Jesus.

Presidente da Associação da Vila Santo Antônio fala sobre o início da organização e alguns problemas do bairro

Cíntia Ferreira

A Associação dos Amigos da Vila Santo Antônio em Cambuí surgiu há cerca de 14 anos quando alguns amigos perceberam a necessidade de se criar um grupo para discutir os problemas devido à carência do bairro. Na primeira reunião da entidade foi eleita uma diretoria. Mesmo existindo há pouco mais de uma década, muitos moradores da Vila não têm conhecimento sobre a associação.

A organização possui 15 membros que são eleitos por um mandato de dois anos, vencendo o último agora em abril. A associação existe para facilitar o acesso da população da Vila com o Poder Público. Segundo o atual presidente Geraldo Pereira da Fonseca, durante as reuniões realizadas pelos membros da associação são debatidos os principais problemas e após um consenso dos membros os assuntos são levados à Prefeitura.

Geraldo contou que desde o início da associação até hoje já tiveram melhorias. “Quando a associação foi criada havia apenas uma escola e uma igreja na Vila”. Hoje a Vila Santo Antônio conta um Posto de Saúde onde está localizado o Programa Saúde da Família (PSF), uma creche recentemente inaugurada, uma quadra de esportes, que segundo Geraldo está abandonada, e um Horto Florestal que também se situa na Vila.

Geraldo afirmou durante a entrevista que a associação atualmente não recebe nenhuma ajuda. “Quando tem gastos são os próprios membros que pagam”. O grupo possui um lote que foi doado pela Prefeitura há alguns anos atrás, mas sem recursos não tem como construir uma sede própria.

Ao ser indagado sobre os principais problemas do bairro, Geraldo afirmou que entre eles estão a falta de segurança, e a situação precária de algumas ruas que oferecem riscos à população. Como é o caso de uma parte da Rua São João Batista onde não há calçamento e foi aberto um buraco ao lado de uma residência e tem oferecido cada vez mais riscos aos moradores. Geraldo afirmou que há quatro anos a associação tem lutado para que essa rua seja calçada, mas a única resposta que obtinha era de que “estavam tomando providências”.

A proprietária de um imóvel localizado ao lado do buraco, Benedita Eva Pereira, conta que os funcionários da prefeitura já foram até lá, já tamparam o buraco com terra, mas que a chuva levou tudo para a rua de baixo. “A casa que está mais afetada é a minha”, diz.

A secretária de Obras e Serviços Públicos Jucelene Nascimento Dias foi procurada pela reportagem da Gazeta do Vale e explicou que o buraco será fechado, e a rua calçada. Ainda essa semana “se o tempo ajudar”, a prefeitura estará passando a maquina no local. Ela explica também que o calçamento das ruas da cidade não dependem só da prefeitura, mas que os moradores tem que informar a Secretaria de Obras sobre o interesse de calçamento em uma determinada rua para que seja feita uma relação de pessoas e seja encaminhada para as empresas responsáveis por este serviço.

Jucelene conta também que a reclamação com relação à Rua São João Batista tem sido feito em no máximo dois anos. Só que “sempre tinham coisas mais urgentes para fazer e faltam mais pessoas para trabalhar nessa área”. Ela afirmou também que é um processo um pouco demorado, mas que é de interesse da prefeitura ajudar a todas as pessoas que querem fazer o calçamento das ruas.

O calçamento das ruas não é de responsabilidade apenas do Poder Executivo. “É uma parceria entre a prefeitura e os proprietários das casas. A prefeitura manda a máquina, dá o cascalho e a areia e a população paga pelos bloquetes e pela mão de obra de assentamento”, conta Jucelene.

Provedor fala sobre a atual situação do hospital de Cambuí

Cíntia Ferreira

O provedor do Hospital Ana Moreira Salles Túlio José Borges Pereira, falou à Gazeta do Vale sobre a atual situação do hospital e dos atendimentos. Também esclareceu questões sobre as dívidas da entidade e advertiu sobre como a população cambuiense pode ajudar a instituição.

Gazeta do Vale - Qual a atual situação do hospital hoje?
Túlio - Melhorou muito do início da nossa gestão até os dias de hoje. Pagamos em dia os funcionários, fornecedores, médicos do corpo clínico, médicos plantonistas, prestadores de serviços, impostos, enfim, levamos em dia as nossas contas além de estarmos pagando dívidas de gestões anteriores. Temos mais médicos no hospital hoje, estamos pagando o plantão à distância, reformamos vários setores do hospital, enfim, diria que a situação é de normalidade.

Gazeta do Vale -
O que tem sido feito para sanar os problemas questionados pelos usuários como falta de atendimento e a demora?
Túlio - Não existe falta de atendimento. Todos são atendidos ou encaminhados conforme o caso. O hospital é referência para especialidades básicas e de médias complexidades, sendo que alguns casos precisam ser transferidos para outras unidades de saúde. Às vezes, quando há demora no Pronto Atendimento, é porque tem algum caso de urgência ou emergência na frente. As pessoas precisam entender que se tenho uma consulta particular com hora marcada, às vezes, espero uma ou duas horas para ser atendido. Aconteceu comigo e eu soube esperar. Pergunta para quem tem convênio se é atendido no dia e na hora desejada, enfim é próprio do sistema de saúde. Agora falando do Pronto Atendimento do nosso hospital, que é para os casos de urgência e emergência, que tem prioridade sobre os demais casos, somente 25% das pessoas se enquadram nesta situação, os outros 75% não. São casos para os Programas Saúde da Fámilia (PSF) ou os ambulatórios das Prefeituras (atendemos outras cidades também). Algumas pessoas acham ruim por não se enquadrarem no perfil de risco e serem triados, daí o descontentamento, que é um dos motivos de críticas. No mês de fevereiro tivemos a primeira amostragem da triagem, onde 88,26% das pessoas afirmaram procurar o hospital pela certeza de ser atendido e 78,24% disseram não saber onde procurar atendimento, por isso vão ao hospital. Ora, vamos procurar o hospital se estivermos realmente precisando, pois quem não está nesta situação estará tumultuando e prejudicando quem realmente precisa. O hospital, por acordo com a Prefeitura de Cambuí, possui somente ambulatório de ortopedia e oftalmologia que atendem em determinados dias, sendo que os outros ambulatórios são de responsabilidade das Prefeituras e ficam nas respectivas Policlínicas ou Postos de Saúde. Quando estes ambulatórios atendem a demanda da população, a tendência é diminuir a procura por médico no hospital. E não podemos esquecer que ambulatório é uma consulta onde o médico está tratando o paciente em uma situação que pode ser agendada. Pronto atendimento é para os casos de urgência e emergência, portanto atestado médico, ressaca, etc, não se enquadram nesta situação.

Gazeta do Vale - O hospital hoje possui alguma dívida?
Túlio – Sim. Com o Governo Federal (INSS, FGTS, PIS e Imposto de Renda), cujos valores chegavam a quase R$ 1 milhão e parcelamos para pagar em 20 anos. Renegociamos com fornecedores, fizemos acordos judiciais e trabalhistas, sendo que ao longo destes três anos já quitamos quase 500 mil reais em dívidas. Estamos pagando outros parcelamentos e ainda faltam aproximadamente R$ 60 mil reais que em breve entrarão em negociação. É importante ressaltar que estamos pagando dívidas que herdamos sem comprometer os compromissos do dia a dia do hospital. A dívida do hospital está sendo totalmente equacionada, de forma que esperamos que em dois ou três meses possamos solicitar a baixa de todos os títulos protestados em cartório. Nesta gestão toda a despesa que contraímos ou dívida renegociada é lastreada em capacidade de pagamento e a próxima gestão, que se iniciará no segundo semestre, poderá continuar honrando estes compromissos de curto, médio e longo prazo, pois terá caixa para isso.

Gazeta do Vale - Quais os projetos que existem hoje para o hospital?
Túlio - De imediato a reforma da maternidade e da lavanderia, além da compra de alguns equipamentos que são extremamente necessários.

Gazeta do Vale - Como está a situação da maternidade hoje?
Túlio - O projeto de reforma está pronto e esperamos em breve captar recursos para iniciá-la. Enquanto isso, as gestantes podem procurar o hospital, pois estamos realizando os partos normalmente. Somente na falta do pediatra, que deve estar presente no nascimento da criança, é que somos obrigados a transferir a gestante.

Gazeta do Vale -
Quantos médicos atendem hoje no hospital? Este número é suficiente para atender a população?
Túlio - No corpo clínico são vinte e cinco médicos e no pronto atendimento temos dois médicos plantonistas durante o dia e um a noite. Sempre iremos precisar de mais médicos, pois não é fácil conseguir fechar a escala de plantão para o pronto atendimento todo o mês. Outros hospitais da região passam pelas mesmas dificuldades. Queremos também trazer médicos de outras especialidades, por exemplo, um neurologista ou ainda montar uma unidade cardiológica semi-intensiva. Ao sanear as contas do hospital estamos trabalhando para isso acontecer. Considero que a situação do hospital de Cambuí é melhor que muitos hospitais de cidades de porte semelhante. Não podemos comparar com Bragança Paulista ou Pouso Alegre que possuem faculdades de medicina, portanto são hospitais escola, podem ter uma maior quantidade de profissionais além de muitas outras especialidades. São considerados hospitais regionais e recebem recursos compatíveis com o seu porte.

Gazeta do Vale - Quantas pessoas, em média, passam diariamente pelo hospital?
Túlio - Fazendo pela média do mês que são três mil e quatrocentas pessoas, então temos cento e treze atendimentos por dia.

Gazeta do Vale - Como o hospital se mantém? Quais as fontes de renda que ele possui?
Túlio - O hospital recebe recursos dos SUS que utilizamos para pagar os colaboradores, despesas administrativas como luz, telefone, impostos, além da compra de equipamentos, serviços e medicamentos. A Prefeitura de Cambuí repassa os recursos para o pagamento dos plantonistas do pronto atendimento além do plantão à distância, que são os médicos do corpo clínico que ficam de sobreaviso. Recebemos também uma quantia mensal de Senador Amaral e Córrego do Bom Jesus, e que ajuda muito em outras despesas como remédios ou mesmo o pagamento de médicos. Além disso, recebemos doações na conta de luz, doações de material, alimentos e por fim os atendimentos particulares e convênios que vem completar a receita.

Gazeta do Vale - Quais as especialidades médicas que o hospital possui hoje?
Túlio - Clínica Médica, Ortopedia, Anestesia, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia e Cirurgia.

Gazeta do Vale - O que a população cambuiense poderia fazer para ajudar o hospital?
Túlio - A maior ajuda seria procurar o hospital somente nos casos de urgência e emergência. Os outros casos mais simples devem procurar os ambulatórios das Prefeituras ou os PSF mantidos pelas Prefeituras. Estatisticamente, conforme preconizado pelo SUS, deveríamos estar atendendo no máximo trinta pessoas por dia, estamos atendendo cento e treze. Este excedente tão alto prejudica as pessoas que realmente precisam. Acabam gerando filas e estressando as pessoas e que acabam ficando com uma impressão errada do hospital. Não estou dizendo que não existem falhas, elas existem sim e para quem se sentiu prejudicado ou mal atendido, temos uma ouvidoria onde se deve fazer a reclamação, que quando procedente é tomada as devidas providências. Mas as falhas diante da quantidade de atendimentos realizados são quantitativamente poucas, porém uma que seja, por se tratar de saúde deve ser levado muito a sério e corrigida para não ocorrer novamente.
Muitas pessoas têm ajudado o hospital, o que demonstra confiança em nossa administração, portanto em nome de toda a equipe, os meus sinceros agradecimentos, pois graças à confiança depositada é que temos conseguido vencer os obstáculos. Acredito que o hospital precisa recuperar o tempo perdido, olhando prá frente e tendo projeto, rumo e equilíbrio para lidar com esta questão chamada saúde e que todos nós estamos sujeitos a precisar de atendimento a qualquer hora. Cuidemos do hospital com muito carinho, pois ele é de todos nós. Obrigado pela oportunidade de poder esclarecer estas questões, com perguntas muito oportunas que só poderia partir de um jornal que tem a exata noção da seriedade do trabalho desenvolvido pelo hospital de Cambuí.

PM realiza operações em Cambuí no final de semana

Cíntia Ferreira
A Polícia Militar de Cambuí tem realizado várias operações na cidade. Neste final de semana foram realizadas algumas apreensões de drogas e outros materiais. Duas foram realizadas no dia 3, na Rua Sabino Marques Padilha, no Bairro Santa Edwiges, outra no Bairro Jardim Santo Expedito e a outra no Terminal Rodoviário de Cambuí, no sábado, dia 4 de abril.

Na residência localizada no Bairro Santa Edwiges foram apreendidas 80 pedras e mais uma porção de quatro gramas de crack, e 28 gramas de substância semelhante a maconha, além de um celular, R$ 250 em dinheiro, uma motocicleta e outros aparelhos eletrônicos. O autor de 19 anos não se encontrava em sua residência no momento. Mas foi localizado posteriormente pela PM e levado a Delegacia de Polícia Civil.

Também no Bairro Santa Edwiges, a polícia realizou uma operação devido a uma denúncia anônima de que existia movimentação de jovens em torno de um terreno baldio ali existente. Ninguém foi encontrado no local, mas durante a busca, a PM localizou 18 dezoito pedras de crack embrulhadas em papel alumínio. Populares informaram que os suspeitos fugiram quando perceberam a aproximação das viaturas.

No Bairro Jardim Santo Expedito, a PM realizou um mandado de busca e apreensão onde foram localizados 30 cartuchos de munição calibre 38 deflagrados; dois cartuchos de munição calibre 44 deflagrados, uma placa de identificação de veículo tipo motocicleta, um canivete, um aparelho de som automotivo e uma motocicleta com documentação irregular. O proprietário dos matériais apreendidos não estava no local.

Já no Terminal Rodoviário, a PM abordou o infrator de 22 anos que carregava em sua mochila cinco tabletes de maconha, um tablete e uma bucha de cocaína e R$ 40. Ao ser questionado pela polícia, o autor disse que estava levando as drogas para a cidade de Paraisópolis. Recebendo voz de prisão, foi encaminhado a Delegacia de Polícia Civil de Cambuí.

Presidente da Câmara Olímpio Cláudio afirma que “a casa está trabalhando em coletividade”

Cíntia Ferreira
Em entrevista à Gazeta do Vale, o presidente da Câmara Municipal de Cambuí Olímpio Cláudio de Brito (PSBD), falou sobre a nova casa legislativa, os projetos de Lei, as indicações e menções, e como tem sido o trabalho dos vereadores nestes três primeiros meses do ano.

Gazeta do Vale – Em sua opinião, como está a casa legislativa este ano?
Olímpio Cláudio – A casa está indo bem. Nós estamos procurando trabalhar da melhor forma possível, tendo um bom entendimento com todos os vereadores para que possamos atender as reivindicações da população.

Gazeta do Vale – A renovação da Câmara foi positiva?
Olímpio Cláudio – São os eleitores que escolheram. Eles que vão fazer esta interpretação e ver se foi positiva ou não.

Gazeta do Vale – Quais temas foram prioritários nos primeiros três meses de legislatura?
Olímpio Cláudio – Os projetos que entraram nesta casa este ano foram relativos a aumentos de salários dos servidores de um modo geral e outros de convênio e alteração no orçamento.

Gazeta do Vale – Quantos projetos de Lei, moções e indicações foram apresentados neste período?
Olímpio Cláudio – Foram apresentados dez projetos e mais dois que ficaram do ano passado. Foram feitas 79 indicações e 19 moções, sendo 15 de pesar e quatro de aplauso.

Gazeta do Vale – Quantos projetos já viraram Lei neste ano?
Olímpio Cláudio – Todos os projetos que chegaram a esta casa já se tornaram Lei.

Gazeta do Vale – Os atuais vereadores priorizam o trabalho político individual ou coletivo?
Olímpio Cláudio – Aqui não tem a individualidade. Os projetos foram todos votados, não tivemos divisão na maneira de interpretação e nem divergências na hora de votar. Todas as votações foram unânimes. Então estamos trabalhando em coletividade, todos para o bem do município.

Gazeta do Vale – Qual comissão permanente teve maior carga de trabalho de janeiro a março?
Olímpio Cláudio – A Comissão de Justiça, Legislação, Redação e Finanças. Todos os projetos passam por ela. Fazem parte desta a vereadora Marina de Moura Ferraz (PSDB) (presidente), o vereador Geraldo Aparecido da Silva (PSDB) (relator) e Edvaldo Bueno dos Santos (DEM) (secretário). Todas as comissões são importantes, mas a que tem maior responsabilidade é a de Justiça.

Gazeta do Vale – Como é a relação do legislativo com o executivo?
Olímpio Cláudio – A relação é boa. As indicações são enviadas, respondidas dentro do possível e todas as dúvidas nós temos ido lá e conversado, até então é um bom relacionamento. Eu acredito que quando há divergências entre o legislativo e o executivo quem perde é o município.

‘Período Integral’ é implantado em Bom Repouso

Cíntia Ferreira
O projeto ‘Período Integral’ foi implantado no município de Bom Repouso este ano. Trata-se de um trabalho de caráter social que visa atender famílias que não tem condições de pagar uma pessoa para olhar os filhos. As crianças que participam do ‘Período Integral’ são crianças que já não tem mais idade de creche. A faixa etária delas é de 6 a 12 anos. A idéia partiu do prefeito Edmilson Andrade (PSDB), da secretária de Educação Terezinha de Fátima Alcântara Crispim e da diretora das escolas municipais Fernanda Aparecida dos Santos Piedade.

Para que os 22 alunos da parte da manhã e os 22 da parte da tarde fossem selecionados para participar do programa foram realizadas inscrições no inicio do ano para saber dos pais quem tinha interesse em deixar seus filhos no ‘Período Integral’. Segundo Fernanda, ainda há uma lista de espera e possivelmente será aberta uma nova turma no período da tarde. Ela conta ainda que a maioria dessas crianças que participam do projeto são crianças que ficavam sozinhas em casa enquanto os pais trabalhavam.

As crianças que estudam na parte da manhã vão para o ‘Período Integral’ logo após as atividades escolares. Lá elas almoçam e passam a tarde fazendo as atividades oferecidas pelo programa. Os alunos que estudam na parte da tarde vão para o ‘Período Integral’ logo de manhã, lá elas participam das atividades, tomam banho, almoçam e vão para a escola na parte da tarde.

O programa conta com duas professoras, uma no período da manhã e outra no período da tarde. São realizadas com as crianças aulas de capoeira, kung fú, dança de rua, música e educação física. Os professores dessas atividades são todos voluntários, e segundo Fernanda muito comprometidos com o que fazem.

A professora que acompanha as crianças durante todo o período auxilia nas atividades escolares de casa, ensina atividades manuais, dá aulas de reforço escolar, aulas de vídeo, ensina hábitos de higiene pessoal e também trabalha a interação social. Para que a vaga seja garantida, já que há uma grande procura, é preciso manter a disciplina. Fernanda afirma que “as crianças estão satisfeitas”.

Presidente da Câmara de Consolação fala sobre projetos e indicações

Cíntia Ferreira
Em entrevista à Gazeta do Vale, o presidente da Câmara Municipal de Consolação Luiz Gonzaga Ribeiro (PSDB) falou sobre os projetos que foram apresentados e aprovados no legislativo no ano de 2009 e as indicações dos legisladores. O presidente afirmou ainda que os vereadores estão trabalhando em parceria com o executivo e que a câmara este ano está “boa de trabalhar”, pois todos os vereadores estão dispostos a ajudar o município.

O primeiro projeto foi apresentado à Câmara no dia 2 de fevereiro. Este autorizou a criação do cargo de chefe de departamento de Assistência Social. Outros projetos de criação de cargos também foram aprovados, como o de chefe do Telecentro Municipal e o de secretário de Obras, Serviços Urbanos e Rurais. Ambos os projetos foram apresentados e aprovados. Apenas o de secretário de obras não foi aprovado pela maioria absoluta, sendo sete votos favoráveis e uma abstenção.

A maioria dos projetos de Lei apresentados em 2009 foram solicitados pelo Executivo Municipal. No dia 18 de fevereiro, foi aprovado por unanimidade o projeto que deu nome a Unidade Básica de Saúde ‘Ana Maria de Jesus’, ao Telecentro Comunitário ‘Maria José Machado’ e a Travessa ‘José Pinho Nogueira’ em frente a Unidade Básica de Saúde.

Outros documentos também foram apresentados e aprovados no decorrer do início do ano. A criação do programa de cestas básicas para os servidores públicos efetivos, excluindo os de cargos comissionados do Poder Legislativo; autorização de uma abertura de crédito especial para término da Unidade Básica de Saúde; criação de um conselho gestor para o Telecentro Comunitário Municipal de Consolação, composto por sete membros, sendo dois indicados pelo legislativo; autorização de uma subvenção ao Hospital Frei Caetano e a Maternidade Santa Tereza de Paraísopolis; contratação de profissionais que compõem as equipes do Programa Saúde da Família (PSF); instituição do Calendário oficial de festas do município; autorização de uma subvenção para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Paraísopolis, entre outros.

Algumas indicações foram feitas pelos parlamentares. Entre elas, o melhoramento nas estradas do Bairro das Rosas e dos Ferreiras; instalação de lixeiras na cidade; construção de um novo reservatório de água no Bairro dos Galhos; criação de um site com as informações da Câmara dos Vereadores; Calçamento da curva da serra do Bairro do Caçador; viabilização de internet para a população gratuitamente; o término do calçamento da Rua Maria José Ferreira; a contratação de um médico para atender em tempo integral no PSF; a construção de um campo society, entre outras.

O presidente encerrou a entrevista dizendo que “a casa está sempre disposta a ajudar o executivo para a melhoria da cidade”.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

APAE completa seis anos em Cambuí

Cíntia Ferreira A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Cambuí completou seis anos no dia 17 de março. Em 1999, foi formada uma equipe para organizar toda documentação para que a associação fosse formada. A iniciativa de formar a entidade no município partiu do juiz de Direito da época Eudas Botelho, que percebeu a necessidade de um atendimento em um local especializado para as pessoas com deficiência.

O terreno onde hoje é a APAE foi doado pela prefeitura. Para a construção do prédio foram realizadas muitas festas com a ajuda do Rotary Clube, da Loja Maçônica, da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo, empresas, órgãos públicos da cidade e de toda a comunidade cambuiense.

Enquanto se organizavam os documentos necessários para a formação da APAE e eram realizadas as festas para arrecadação da verba para a construção da sede, as crianças excepcionais recebiam atendimento no Centro Municipal de Atendimento Especializado (CEMAE), mas que não possuía uma estrutura própria.

Inaugurada em 17 de março de 2003, a APAE contava com funcionários cedidos pela Prefeitura Municipal e com aproximadamente 80 alunos. Hoje, a associação possui 103 alunos de 0 a 50 anos, atendendo as cidades de Cambuí, Córrego do Bom Jesus e Senador Amaral.

Na área da saúde, a APAE possui profissionais como fonoaudiólogo, psicólogo, fisioterapeuta e neurologista, cedidos pela prefeitura, além dos voluntários que possui como dentista, médico otorrinolaringologista e clínico geral.
A APAE realiza todo ano no mês de agosto a ‘Semana do Excepcional’, onde são desempenhadas diversas atividades diferentes com os alunos. São realizados passeios, sessões no cinema, entre outras atividades.

A instituição recebe uma subvenção da Prefeitura Municipal de Cambuí, Córrego do Bom Jesus e Senador Amaral, além dos sócios contribuintes que possui. Segundo a diretora da APAE Valéria Gonçalves de Souza Santos, a vinda da associação para o município foi muito importante. “Todo mundo tem direito de ter uma escola. Foi muito importante porque eles [os excepcionais] foram valorizados e vistos com outros olhos, olhos de cidadãos. São pessoas muito dóceis, educadas e não tem diferença em nada”, afirma.

Reunião sobre drogas, segurança e violência é realizada em Cambuí

Cíntia FerreiraNa última terça-feira, 31, foi realizada no Plenário da Câmara Municipal de Cambuí, ás 19h, uma reunião ministrada pelo delegado Renato Mendes para tratar de assuntos como a segurança no município, a violência e as drogas. Além do delegado, compuseram a mesa as autoridades como o prefeito Benedito Antônio Guimenti (PSDB), o sargento Guedes da Polícia Militar de Cambuí, o presidente da Câmara Olímpio Cláudio de Brito (PSDB), e o presidente da Associação da Vila Santo Antônio.

A reunião desta terça-feira se tratou de um debate informal para colocar idéias em discussão, cujo objetivo é formar conselhos e estabelecer uma parceria entre a Polícia Militar, a Polícia Civil, o Executivo Municipal, o legislativo, as associações de bairro, as igrejas, escolas e outras entidades do município para tratar assuntos como combate as drogas e violência. Segundo Renato trata-se de um esforço conjunto para tentar trabalhar novas idéias para Cambuí.

Serão realizadas reuniões periódicas com as lideranças do município que estiveram presentes nesta primeira reunião e que foram representantes das associações de bairro, diretoras de escolas, integrantes do conselho tutelar, líderes religiosos, vereadores, secretários municipais, representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, entre outros. O próximo debate está previsto para meados do mês de maio.

A iniciativa partiu do delegado Renato que afirmou existir um interesse mútuo da Policia Militar e Civil de estreitar os canais de comunicação com a sociedade. “Para minha grata surpresa, esta idéia que inicialmente estava restritamente vinculada à segurança pública, acabou tomando maiores proporções. E por conta disso a gente conseguiu reunir hoje aqui várias lideranças e eu espero que esta reunião de hoje possa ser muito produtiva em um futuro próximo”, conta.

Ao ser indagado sobre a segurança no município o prefeito Guimenti afirmou que se não houver a participação da sociedade fica difícil a parte de segurança pública. “Tem que informar onde está o problema para que a PM possa ir atrás”. Guimenti contou também que a criação de uma Guarda Municipal para Cambuí está em seu plano de governo para os próximos quatro anos. Ele disse ainda não foi criada devido a problemas com recursos, como a redução das verbas repassadas pelo governo. “Nós estamos na expectativa e assim que melhorar o nosso caixa nós vamos montar a Guarda Municipal e criar também a Defesa Civil”.

Fique atento ao prazo para a inscrição do Fies

Cíntia Ferreira* com informações do site da Uol

Estão abertas as incrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) desde segunda-feira, 30 de março. Podem solicitar o financiamento das mensalidades os estudantes matriculados em instituições de ensino superior privadas que tenham aderido ao processo em 2009. O prazo termina em 17 de abril. O candidato deve preencher a ficha de inscrição que está disponível na internet, no site www.caixa.mg.gov.br, imprimi-la em duas vias e entregá-la na instituição de ensino onde estuda.
O prazo para os bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni) se inscreverem no Fies foi prorrogado para o dia 24 de abril. Para concorrer ao financiamento, o interessado deve estar matriculado em instituição de ensino superior privada que tenha aderido ao Fies em 2009 e ser bolsista parcial do ProUni. A ficha de inscrição também está disponível no site da Caixa.

‘Dia da Pinta’ é realizado pelo PSF da Vila Santo Antônio

Cíntia FerreiraNo dia 31 de março, a equipe do Programa de Saúde da Família (PSF) da Vila Santo Antônio realizou a campanha chamada “Dia da Pinta” sob a coordenação da Secretaria Municipal de Saúde. Foi realizada uma palestra com pessoas que já possuem algum tipo de pinta ou mancha no corpo, que posteriormente podem vir a ser um câncer de pele, e com pessoas que já viveram alguma experiência com este tipo de doença.

A dermatologista Josiane Rodrigues, apresentou os principais aspectos da doença, explicou como se prevenir e como reconhecer estas manchas e “pintas”, além de falar da importância de se fazer uma avaliação clínica da pele. A enfermeira chefe da equipe da Vila Santo Antônio, Vanessa de Carvalho Silva acrescentou que nesse primeiro dia de trabalho, além da palestra, foi realizada também uma triagem com possíveis doentes, e agendado um dia para avaliações clínicas com todas essas pessoas, de uma maneira mais detalhada.

No próximo dia 8 de abril, a Secretaria Municipal de Saúde realizará a chamada ‘1ª Marcha Cambuí contra o Câncer’, acompanhando assim a data que é marcada pelo Dia Mundial de Luta Contra o Câncer, que consistirá numa caminhada nos principais pontos da cidade, partindo as equipes de cada PSF existente nos bairros e finalizando na Praça Coronel Justiniano. Haverá panfletagem e corpo-a-corpo com as pessoas visando assim a maior conscientização da população em relação à doença.

Nova ponte em Estiva está prestes a ser entregue à população

Cíntia FerreiraUma nova ponte está sendo construída desde o mês de novembro de 2008 para a população estivense. A ponte que está em fase de acabamento fica sobre o Rio Itaim e dá acesso ao bairro Boa Vista, bairro Caçador, Sertãozinho, entre outros. Também dá acesso à estrada que vai para a cidade de Consolação. No local já existe uma ponte, mas esta, em fevereiro do ano passado, devido às chuvas, foi danificada tendo a Prefeitura Municipal que fazer um conserto provisório.

O prefeito João Gualberto Rezende Júnior (PMDB), conseguiu junto ao Governo do Estado de Minas Gerais as doações das vigas metálicas e mais recursos de R$ 80 mil para a construção da ponte. O custo total da obra é de R$ 188.198,37 mil, sendo o restante recursos próprios do município. A empresa responsável pela construção da estrutura é a Mactel Engenharia Ltda de Pouso Alegre.

A nova ponte será entregue a população nos próximos dias. Em fase final, a Prefeitura vai executar o aterro necessário para a liberação do trânsito. Esta é a primeira ponte de concreto feita pela prefeitura no Rio Itaim. Segundo o engenheiro responsável da prefeitura Joaquim Francisco Pereira, a ponte traz benéficos à população com relação a segurança e a necessidade da construção de uma ponte definitiva no local existe há mais de 20 anos.

A estrutura da antiga ponte é feita de tubo ármico e possui uma vazão pequena. A nova proporcionará uma vazão maior. Depois de concluída e liberada para o trafego, a antiga ponte será demolida pela prefeitura.

Consolação realiza projeto ‘Delícias e Riquezas da Nossa Terra’

Cíntia Ferreira

A equipe do Patrimônio Histórico e Cultural do Município de Consolação realizou durante o ano de 2008 um projeto de educação patrimonial com o tema ‘Delícias e Riquezas da Nossa Terra’. O projeto teve a finalidade de pesquisar o que os moradores da cidade estavam consumindo em suas refeições diárias. Na última quinta-feira, 2, foi realizada uma reunião em Pouso Alegre pela Comissão Regional de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (SRSANS), onde foi pautada a experiência do município de Consolação com este projeto.

O projeto foi realizado como um dos critérios para o repasse do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Cultural. Para obter o resultado com relação aos alimentos consumidos pelos consolenses as representantes Maria Helena Pedrozo e Sueli Aparecida Alves Nogueira ficaram responsáveis pela distribuição de formulários com perguntas relacionadas a alimentação na escola municipal e estadual da cidade. Também foram realizadas palestras onde foi passado aos alunos a importância de se saber a origem de seus costumes alimentares. No final de cada visita, foi solicitado aos estudantes que levassem uma receita mais antiga da família que a mãe ou a avó costumava fazer em casa.

Após a entrega das receitas, foi confeccionado um pequeno livro de receitas. Através das associações e comunidades de bairros será realizado um trabalho de resgate a produção de alimentos, como também cursos de culinária para as mulheres que dispuserem a participar.